• Patrimônio cultura afro tem agora procedimentos de tombamento

Legislação sintonizada com as demandas do movimento negro e com a agenda internacional.

Se a ONU denominou o decênio de 2013 a 2022 como a Década Afrodescendente, Teresa Leitão garantiu a aprovação da Lei 14.852, que criou os procedimentos de tombamento e de registro do Patrimônio Cultural de Origem Africana no Estado de Pernambuco.

Pela importância, o governador sancionou a lei em seu gabinete, na presença de representantes de diversas entidades da cultura afro no Estado.

De acordo com a nova lei, ficam resguardados documentos, obras, objetos, formas de expressão, celebrações, edificações e sítios em geral de reminiscência da cultura africana. Já as manifestações históricas dos antigos quilombos e terreiros de candomblé têm prioridade no processo de tombamento.

Notícia anterior

Próxima notícia