• Teresa Leitão cobra punições a investigados por CPI

Evidências da venda de diplomas universitários em Pernambuco, apuradas pela Comissão Parlamentar de Inquérito das Faculdades Irregulares e confirmadas pelo Ministério da Educação (MEC), precisam resultar na responsabilização dos envolvidos. É o que defendeu, nesta terça (20), a presidente da Comissão de Educação e Cultura da Alepe, deputada Teresa Leitão (PT). Relatora da CPI, a petista cobrou a punição dos crimes identificados e o pagamento de indenizações aos alunos prejudicados.

A parlamentar lembrou que algumas das instituições foram impedidas de funcionar pelo MEC, mas considerou a medida insuficiente para garantir os direitos dos alunos e impor sanções aos envolvidos. “O trabalho da CPI evidenciou um verdadeiro engodo para com os estudantes, mas o Ministério Público precisa abrir os processos criminais contra os responsáveis”, asseverou.

Teresa Leitão comunicou que a Comissão de Educação acompanhará as repercussões das investigações. A deputada ainda defendeu “alternativas pedagógicas” para o aproveitamento dos estudos pelos alunos lesados. “Assim, essas pessoas poderão ter sua formação concluída e legalizada”, observou.

Do site da Alepe

Notícia anterior

Próxima notícia