• Teresa Leitão considera que investidas contra Lula são ataques à democracia

Do Site da Alepe

O ataque a tiros realizado contra a caravana do ex-presidente Lula na semana passada levou a uma manifestação de repúdio da deputada Teresa Leitão (PT), na Reunião Plenária desta segunda (2). Na última terça (27/03), dois ônibus que integravam a comitiva foram atingidos por disparos de arma de fogo na rodovia entre as cidades de Quedas de Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no Paraná.

“Não é possível calar diante desse absurdo. Quem não gosta de Lula pode apresentar outros candidatos e fazer outros atos, mas não venha jogar pedra ou dar tiro no ato alheio”, declarou a petista. “As agressões anteriores aos disparos não foram espontâneas, mas uma ação articulada. Os áudios descobertos revelam que houve uma mobilização para barrar a entrada da caravana com tratores e emboscadas e jogar pedras e ovos no ônibus”, registrou a parlamentar.

“Há uma trama não só contra Lula, mas algo muito mais grave: uma trama contra a democracia, que ameaça até mesmo a realização das eleições neste ano”, considerou Teresa Leitão. “Em razão disso, um ato suprapartidário em prol da democracia ocorrerá hoje à noite, no Rio de Janeiro. Vamos continuar a defender a democracia em eventos como esse, não só a favor do PT ou de Lula, mas ao direito de cada um ter sua opinião”, anunciou. Segundo a deputada, a luta pela democracia já custou muitas vidas no Brasil e não se pode deixar que outras tantas possam ser ceifadas de novo.

Em aparte, o deputado Isaltino Nascimento (PSB) propôs que um manifesto de repúdio contra os ataques a Lula seja assinado pelos deputados da Alepe. “Não é cabível que esse tipo de coisa ocorra no Brasil. E isso acontece num contexto de demonização da política e de uma tentativa de desconstruir o papel da esquerda, ao mesmo tempo em que a mídia hegemônica não faz o devido repúdio a esse ato de intolerância”, opinou.

Outra manifestação de apoio ao discurso de Teresa Leitão foi de Odacy Amorim (PT). “Aqueles que querem criminalizar o presidente Lula deveriam andar pelo Nordeste e ver como as pessoas melhoraram de vida. Nordestinos ficam indignados ao saber que Lula foi impedido de entrar numa cidade em que ele inaugurou uma universidade federal”, frisou. O deputado ressaltou, ainda, que “esses atos de intolerância não representam a população do Sul do País”.

Notícia anterior

Próxima notícia