• Teresa Leitão rebate declarações do Ministro da Educação de Bolsonaro e diz que ele “saiu do prumo”

A deputada estadual Teresa Leitão rebateu hoje (5), no plenário da Assembleia Legislativa, de forma indignada, os ataques do ministro da Educação do Governo Bolsonaro, Abraham Weintraub, ao educador Paulo Freire. Para Teresa, o ministro “saiu do prumo” ao afirmar que Paulo Freire era “feio”. A parlamentar elencou medidas do Ministério que, em sua opinião, retiram direitos e conquistas do povo brasileiro e lamentou que o ministro não conheça a obra do educador pernambucano.

Teresa lembrou que o Programa Future-se, em sua avaliação, é “o fim da autonomia e do caráter público das universidades”. A petista também criticou a extinção do Programa Idioma sem Fronteiras e do Conselho Consultivo do Plano Nacional do Livro e da Leitura. “Isso esvazia a participação dos educadores e dos gestores nos livros didáticos”.

A parlamentar ainda condenou a suspensão do edital para novas bolsas de pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e mais um corte no orçamento das universidades, desta vez de R$ 48,5 milhões, bloqueando o pagamento de várias contas das instituições. “A pesquisa é um passo fundamental para o avanço da civilização, e o CNPq é reconhecido internacionalmente por incrementar a ciência no País”, frisou.

Teresa Leitão defendeu, ainda, o legado do educador pernambucano Paulo Freire. “De que adianta chamar Paulo Freire de feio e fazer um bocado de coisas feias para a educação de nosso país, para o direito à educação pública consignado na Constituição?”, questionou. “Ele tem inveja porque Paulo Freire é o escritor brasileiro mais lido, comentado e citado internacionalmente. Tire a sua feiura do caminho, ministro, que eu quero passar com a beleza da educação pública”, concluiu Teresa Leitão.

Foto: Roberto Soares/Alepe

Notícia anterior

Próxima notícia